Header Ads

Técnico do Sete atribui derrota à queda da parte física, mas ainda acredita em classificação

Técnico entra em sua segunda semana a frente do time e promete
aprimorar falhas para a sequência da Série D (Foto: Franz Mendes)
Depois de um primeiro tempo ofensivo, com várias chances criadas, o Sete de Dourados deixou escapar a vitória diante da Aparecidense/GO, neste domingo (28), no estádio Douradão, sofrendo dois gols na etapa final, que resultaram na derrota e uma difícil missão de conseguir somar pontos em todos os jogos até o final da primeira fase para seguir sonhando com a vaga na próxima fase da Série D.

A diferença no ritmo entre as duas etapas foi justamente o fator que o técnico estreante, Bazílio Amaral, utilizou para explicar o porquê do resultado final. Para o treinador, o time teve uma notável queda na parte física, já que teve pouco tempo para trabalhar esse quesito durante a semana.

“Vamos trabalhar para que a gente tenha mais força. Quando eu falo força é parte física. O Tadeu [Nogueira, preparador físico] chegou há pouco tempo e a gente vê que o time não conseguiu suportar o jogo. Não estamos jogando o estadual, precisamos estar um pouquinho mais competitivos pra que consigamos suportar o jogo inteiro e fazer o que fizemos no começo todo tempo”, disse o treinador à rádio Grande FM.

Um dos jogadores que mais pareceu sentir cansaço no primeiro tempo e também o clima em Dourados foi o atacante Acosta, que estreou com a camisa tricolor, porém jogou apenas o primeiro tempo, participando inclusive do gol do Sete ao desviar a bola que sobrou para o atacante Sadan. Após o jogo, o zagueiro Anderson Peixe atribuiu a saída do uruguaio como um dos condicionantes para os gols adversários, já que, segundo o defensor, a equipe perdeu a referência na frente.

Já com a chave virada, o técnico Bazílio Amaral promete dar maior atenção ao setor ofensivo durante esta semana, já que nos primeiros dias de preparação sob seu comando, deu foco especial à defesa. Segundo ele, nos quatro jogos finais, o Sete não tem mais espaço para erros e precisa de pelo menos três vitórias para garantir a classificação.

“Vamos jogar contra a Luziânia lá e, com todo respeito, temos que ir buscar a vitória que precisamos para atingirmos 10 ou 12 pontos. Temos que conseguir recuperar esses pontos, independente se aqui [em Dourados] ou fora de casa. Tenho certeza que com a qualidade dos jogadores que temos e com trabalho a gente vai com um time bem diferente nas próximas partidas”, concluiu o treinador.

Os jogadores se reapresentam nesta segunda-feira, às 15h, para iniciar a preparação visando o Luziânia/DF, em partida que acontece no próximo sábado (3/6), às 15h, no estádio Serra do Lago, em Luziânia/GO. Sem nenhum ponto no grupo A11, o Sete ocupa a lanterna da chave, enquanto União/MT e a equipe do Distrito Federal somam quatro pontos, dividindo a liderança.


Copyright © 2016 Arquibancada MS. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.