Header Ads

Especial Sub-17 - Conquista

Criado há poucos meses, equipe é uma das surpresas nas semifinais
(Foto: Reprodução/Facebook)

Em seu primeiro ano disputando competições, a equipe, que também surpreende, quer continuar sonhando. Beneficiada pelo regulamento da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, onde o “melhor derrotado” também se classificaria, a equipe agora terá pela frente o Sete de Setembro, única equipe com 100% de aproveitamento até aqui.

Em uma campanha caseira, o time atuou apenas uma vez fora da capital até aqui. Na primeira fase passou pelo Juventus, por w.o, e Campo Grande, vencendo por 2 a 0, garantindo a liderança da chave. Na fase eliminatória deixou para trás o Vitória, com dois triunfos, por 5 a 0 e 2 a 0, e depois o Náutico, com uma vitória por 2 a 0 e um empate em 2 a 2. A única derrota até então veio fase sequente, frente ao Seduc, também semifinalista, por 2 a 0, em Aquidauana, mas com a vitória por 3 a 2 na volta, a equipe, que seria eliminado, garantiu a melhor campanha entre os derrotados e seguiu na competição.

Dois jogos da campanha são levados com o clube, segundo o presidente, Itamar Martins. Na derrota para o Seduc, julgado como partida mais difícil até aqui, a equipe sofreu com o forte calor e a intensidade do adversário, enquanto o empate contra o Náutico é a motivação para poder passar pelo invicto time douradense.

“No jogo lá [em Aquidauana] sentimos muito o calor e perdemos pra eles na força física, mas na qualidade de jogo nos saímos melhor. Temos também que elogiar a equipe deles, é muito boa.”, relembra, e prossegue “Todo jogo explicamos pra eles que o mundo do futebol permite surpresas. Nesse campeonato empatamos com o Náutico e em outras competições, neste ano mesmo, já havíamos vencido eles quatro vezes. Para ser um time grande, tem passar pelos grandes. Não há vencedor que não vença batalhas”, afirma Martins.

Conquista já atuou em outros dois campos como mandante
(Foto: Reprodução/Facebook)
O dirigente alega dois fatores que a equipe tem enfrentado e dificultam o bom desempenho na competição. O maior deles é a falta de um estádio em Campo Grande, fazendo com que o clube mande o jogo mais importante do torneio, até aqui, em Terenos e o outro é que o artilheiro da equipe, Hélton Oliveira, deixou o grupo, para o Grêmio Barueri, durante a competição, fazendo com que o sistema de jogo seja alterado ao longo da preparação. “O jogo do time era preparado pra ele, mas agora estamos mudando”, conta.

No entanto, a ausência não é lamentada e sim festejada. O clube foi criado com o ideal de formar e exportar jogadores e Martins comemora o sucesso com poucos meses de fundação e espera, ainda assim, seguir para a final. “Nossa expectativa é melhor possível. Estamos confiantes. Temos esperança de fazer bons jogos tanto aqui quanto lá e passar. A gente entra no campeonato pra vencer, lógico, mas queremos projetar esses garotos. Nosso clube foi formado com um ideal diferente, de dar oportunidade para os meninos no mundo do futebol”, conclui.

Esta matéria faz parte do especial sobre as equipes semifinalistas do sub-17. Confira os demais sobre o CenaSeduc e Sete de Setembro.
Copyright © 2016 Arquibancada MS. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.