Header Ads

Especial Sub-17 - Cena

Após sete anos longe do futebol, clube voltou apostando nas categorias
de base (Foto: Reprodução/Cena)

Um dos azarões deste ano, o time de Nova Andradina já não é mais surpresa para ninguém. Após sete anos afastado do futebol, o clube remontou sua diretoria e aproveitou as categorias de base do Projeto Meninos de Ouro, que é realizado há alguns anos com garotos do município, para retomar o futebol e se colocar entre os quatro melhores do torneio.

Para chegar até este confronto contra o atual bicampeão, a equipe venceu quatro jogos e empatou três, além de um triunfo por w.o. Na primeira fase, regional, o time se classificou em primeiro ao vencer o Centro Desportivo MS, de Novo Horizonte do Sul, por 3 a 0, e empatar sem gols com o Naviraiense.

Time eliminou o Esquerdinha com duas vitórias na última
fase: 1 a 0 em casa e 2 a 1 fora (Foto: Nova Notícias)
No mata-mata, passou por Águia Negra com um empate em 1 a 1 fora de casa e uma vitória por w.o no estádio Andradão e na terceira fase pelo Pontaporanense, com um empate sem gols em casa e vitória por 2 a 0 no estádio Aral Moreira. Na última fase passou pelo campo-grandense, Esquerdinha, com duas vitórias: 1 a 0 em casa e 2 a 1 na capital. Os três últimos confrontos foram eleitos por Éder Baratella, membro da comissão técnica, os mais difíceis até aqui: “Foram jogos de bastante dificuldade pra gente, porque foram times de marcação muito forte”, disse.

Para passar pelo atual bicampeão, Baratella confessa não ter muitas informações, porém, acredita que o trabalho que vem sendo desempenhado pelo grupo merece ser coroado com uma vaga na final. “Nosso diferencial é o grupo. Estamos treinando forte todos os dias. Os meninos se dedicam, cumprem os horários, regras e diretrizes do clube, então o grupo eu coloco como o nosso carro-chefe. Estamos tentando manter os meninos tranquilos, a gente até realizou algumas palestras com eles, que por mais que a gente vá enfrentar uma equipe de tradição no campeonato, vamos procurar manter o que vínhamos fazendo”, comenta.

Apesar de contar com apenas uma vitória em casa, com desempenho superior quando atua longe de sua cidade, o técnico conta que o fato de decidir no estádio Andradão pode ser um diferencial e que as atuações passadas não devem ser levadas em consideração.

“Nossa postura em casa já mudou. Acho que não vamos ter problemas com isso. É nítido que jogamos melhor fora de casa, mas como vai jogar o primeiro jogo fora e podemos decidir em casa. O que estava deixando os meninos apreensivos é que a bola não estava entrando, mas no último jogo isso já mudou”, comenda, antes de concluir: “A gente está confiante pelo nosso trabalho. Sabemos que vamos enfrentar o atual bicampeão, um time de muita qualidade, mas temos que acreditar no que estamos fazendo”.

Esta matéria faz parte do especial sobre as equipes semifinalistas do sub-17. Confira os demais sobre o Conquista, Seduc e Sete de Setembro.
Copyright © 2016 Arquibancada MS. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.