Header Ads

Com passagens pela base de Corinthians e Cruzeiro, atacante de 17 anos tenta recomeçar carreira na Série B de MS

Jogador defenderá o Maracaju na
Série B (Foto: Cedida)
“Vou procurar me reerguer aqui”. Assim é encarada a Série B do Campeonato Sul-Mato-Grossense pelo atacante Rafinha Ferreira, que tentará o acesso à elite estadual junto ao Maracaju. No entanto, diferente do que a frase demonstra, o jogador tem apenas 17 anos, mas com muita coisa vivida na carreira que ele tenta prosseguir.

Com passagens pelas categorias de base de Cruzeiro e Corinthians, o jogador, que tem como principais características o drible em velocidade e a finalização, atuará, assim como o restante do elenco, sem receber salários da equipe, mas com o proposito de recomeçar sua carreira, para quem sabe voltar aos grande palcos um dia.

Natural de Rio Brilhante, o jovem jogador começou sua peregrinação aos 11 anos, no Boa Esperança, de Ibirité/MG, porém, apesar da pouca idade, Rafinha era colocado frequentemente entre os mais velhos e justamente assim veio sua primeira grande oportunidade. Em um jogo pelo Campeonato Mineiro sub-17, sua equipe foi derrotada por 7 a 1, mas apesar do placar, o único gol da equipe do interior foi marcado pelo garoto, cinco anos mais jovens que os demais, olímpico.

Com 13 anos, passou pelo Cruzeiro
(Foto: Cedida)
A atuação chamou atenção dos olheiros da raposa, que o convidaram para um período de testes, onde foi aprovado, mas só integrou o grupo aos 13 anos. Com salário de R$ 600,00 e vários presentes do empresário, além de treinar todos os dias próximo a jogadores como Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e o elenco que conquistou o Campeonato Brasileiro em 2013, o jogador se destacava nos treinos, porém, o mesmo rendimento não acontecia nos estudos.

“Com tudo isso vim me perdendo. Acabava com os jogos, treinos e tudo mais, mas na escola... Me desleixei. As notas eram boas, mas as presenças não batiam com a meta que eu deveria atingir. Durante cinco meses faltei muito e com isso veio a dispensa”, conta Rafinha, que confessa “Ate hoje me arrependo de não ter levado a escola a sério lá no Cruzeiro”.

Dispensado após um ano de clube, o jogador conta que pensou em abandonar a carreira aos 14 anos, mas com o apoio da família decidiu seguir e no mesmo ano conseguiu ser aprovado em um teste do Corinthians, sua segunda grande chance, ganhando R$ 250,00.

No clube paulista, o atacante chegou a estar entre os pré-selecionados para o Mundial de Clubes da categoria, mas acabou cortado e meses depois foi novamente dispensado. Algum tempo após deixar o alvinegro afirma ter descoberto que seu empresário brigara com um dos funcionários, o que acarretou em sua saída do clube.

De volta ao Estado natal, tentou novas avaliações em clubes como Grêmio Prudente/SP, Barras/SC, Criciúma/SC, Corinthians, novamente, Palmeiras e Ponte Preta, por duas vezes cada, e por fim o São Paulo, sendo rejeitados por todos.

Ainda com esperança de retornar aos grandes clubes, Rafinha atuou neste ano pelo Ubiratan, no estadual sub-17 e escolheu o Maracaju para recomeçar a carreira, agora como profissional. Sem condições financeiras para contratar jogadores, o clube decidiu contar com apenas jogadores da região e como sua avó mora na cidade, decidiu pedir uma chance e foi o último atleta integrado ao grupo. “Se Deus quiser, vou me destacar e jogar a Série A do estadual no ano que vem e tudo que acontecer a partir dai é consequência”, conclui.

Com mais tempo para demonstrar nos treinos que merece um lugar entre os titulares após a desistência do Ubiratan. Rafinha espera mostrar mesmo que nos poucos jogos que seu time terá na Série B, que ainda pode se firmar no mundo do futebol. Já classificado para as semifinais, por só ter duas equipes da chave, o primeiro jogo do Maracaju está programado para o dia 26 de novembro, contra o Urso, de Mundo Novo.   
Copyright © 2016 Arquibancada MS. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.