Header Ads

Atual presidente do Comercial descarta concorrer à reeleição em novembro

Mandato da atual diretoria se encerra no próximo dia
seis de novembro (Foto: André Bittar)
O Comercial vive uma indefinição quanto ao nome que comandará o clube a partir da próxima temporada. Há um ano no cargo de presidente, Ítalo MIlhomem, descartou nessa semana concorrer à reeleição no clube e até o momento nenhuma chapa se demonstra desenhada para ocupar o pleito.

Com mandato até o próximo dia seis de novembro, Mllhomem, de 28 anos, assumiu o clube com dívidas próximas a R$ 1 milhão e conseguiu fazer o refinanciamento dessas pendências no INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) e FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), além de aderir o clube ao Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro).

No entanto, o jovem dirigente acabou tendo problemas familiares e chegando até a perder o automóvel pessoal para custear débitos do clube, fatos que motivaram sua decisão. “Eu não sou candidato à reeleição devido à experiência que a gente já teve. Mas eu vou acompanhar”, afirmou em participação no programa Difusora EC nesta semana, alegando que sua ideologia política também o desgastou na função: além de presidir o colorado, ele atua como assessor parlamentar do deputado federal Zeca do PT e é militante do partido.

Mesmo sem ainda contar com nomes cotados para o cargo, Mllhomem conta que caberá a próxima diretoria executar um dos projetos desenvolvidos durante seu mandato, a construção do Centro de Treinamento (CT) próprio do colorado. De acordo com o dirigente, existe a ideia por parte de um sócio patrimonial. O CT seria localizado no bairro Oliveira, em uma área pública cedida pela prefeitura da capital.

Na última semana a frente do clube, a preocupação será apenas em acertar as últimas dívidas restantes desta temporada e deixar o planejamento para o próximo mandatário. “Temos uma dívida deste ano, que precisa ser honrada, para que nossas certidões no Profut se mantenham em dia. Vamos aguardar até novembro para ver o quanto a gente vai ter de recursos para definir quem será o técnico, comissão e ver o que podemos fazer. A tendência é que seja igual 2015”, conclui, se referindo ao último ano em que o clube teve folha salarial mais baixa.

Ainda sem data definida, as eleições devem ser convocadas por edital até a última semana de novembro.
Copyright © 2016 Arquibancada MS. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.