Header Ads

Ex-atacante do Comercial, Coquinho é vítima de parada cardiorrespiratória e falece em Campo Grande

Corpo do ex-jogador será velado em Campo Grande
(Foto: Reprodução)
Faleceu na madrugada desta sexta-feira (9) o ex-atacante do Comercial e Taverópolis, Osmar Alves Côco, o Coquinho, que nos últimos anos atuava como comentarista de rádio e tevê, além de ser proprietário de uma empresa do ramo alimentício em Campo Grande.

Segundo informações do site Campo Grande News, o ex-atleta teria sofrido uma parada cardiorrespiratória em sua residência, por volta das 3h, chegando a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), porém não resistiu e morreu a caminho do hospital.

O corpo do ex-jogador será velado no sábado (10), às 8h, no cemitério Memorial Park, na capital.

Carreira

Famoso por sua irreverência quando jogador, Coquinho se auto afirmava como “promotor do espetáculo” ao utilizar de frases provocativas como “Coquinho em campo não tem placar em branco” e usar chuteiras coloridas nos anos 1970 e 80, divertindo os torcedores.

Iniciou sua carreira na Ferroviária, de Araraquara/SP, cidade onde nasceu e atuou por cinco anos até ser contratado pelo São Paulo, clube no qual ficou por apenas nove meses, sendo emprestado logo em seguida ao Comercial, em meados de 1976. No futebol sul-matogrossense, além do Coloradol, jogou pelo Taveirópolis e na Sociedade Esportiva Industriária (SEI), onde foi artilheiro local ao marcar 22 gols em 1977. Nos anos 1980 teve passagens ainda por Vitória/BA, Náutico/PE e América/MG.

“Eu era centro-avante. Um atacante rompedor, não tinha muita habilidade, mas fazia muito gol. Cabeceava muito bem, era forte e alto, e usava muito isso”, definiu-se Coquinho, em 2013.

Após o término da carreira, Coquinho passou a morar em Campo Grande e se envolver nos bastidores do futebol estadual, assumindo inclusive sua intenção de se tornar presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), sendo crítico assíduo do atual ocupante da função, Francisco Cesário, e dos gestores de clubes do Estado. Como comentarista não negava sua preferência pelo Comercial, porém, acima de tudo era um torcedor do futebol sul-matogrossense.

“Aqui em Campo Grande, tenho uma paixão pelo Esporte Clube Comercial. Mas eu torço muito para o futebol de Mato Grosso do Sul, principalmente para os times da Capital voltar a ser fortes”, afirmou em entrevista ao Esporte Ágil, em 2013.

Sua última participação ocorreu no programa “Conto de Boleiro”, do Portal da Educativa, divulgado no último dia 26. Confira!
Copyright © 2016 Arquibancada MS. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.